22/11/2019

Ecumenismo engajado em prol dos hospitais HRO, HNSS e HC.

Na manhã da última quarta-feira (20/11), lideranças religiosas de igrejas cristãs estiveram reunidas com a administração da entidade filantrópica que administra os nosocômios: Hospital Regional do Oeste (HRO), Hospital da Criança (HC), Hospital Nossa Senhora da Saúde (HNSS), sendo os dois primeiros sediados em Chapecó e o segundo em Coronel Freitas.

De acordo com Rogério Getúlio Delatorre, que exerce a presidência executiva da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira (ALVF), filantrópica gestora dos três hospitais, “é com a união de todas as forças vivas e entidades de nossa região que conquistaremos sustentabilidade na melhoria e ampliação dos serviços médicos hospitalares em alta complexidade”, disse. Ainda durante o encontro, fora explanado sobre o sistema hospitalar, sua estrutura física e multiprofissional. Também foi pauta o relatório de produção de serviços, sendo que o HRO, há 33 anos de existência, ainda mantém tímida estrutura física no pronto-socorro desde sua inauguração em 30 de outubro de 1986.

Diversas manifestações das líderes e dos líderes religiosos presentes reafirmam o engajamento ecumênico em torno desta nobre e grande causa: prestar serviços de excelência e resolutividade, sendo sua mantenedora ALVF autossustentável. “Todos somos HRO, pois o Hospital Regional é de todos nós e estamos irmanados em favor desta causa, onde milhares de cidadãs e cidadãos encontram porto seguro”, testemunhou Ademar Francisco Vieira, Pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular.

Ainda durante o encontro, foram apresentados desafios a suplantar, que são: ampliar e qualificar ainda mais o atendimento no pronto-socorro do HRO; reduzir e/ou zerar filas de cirurgias nas especialidades de traumato ortopedia, neurocirurgia e cirurgia geral; implementar/efetivar autossustentabilidade da filantrópica administradora das três unidades hospitalares.

O presidente do conselho delegado de administração, Gelson Dalla Costa, foi enfático ao afirmar que as despesas permanecem acima das receitas. “Mesmo implementando ações de eficiência e eficácia, ainda temos deficit anual na ordem de quatro milhões de reais. Por isso, a importância da participação da comunidade que certamente tem condições de participar. Independente da doação, qualquer ação é gesto de grandeza que contribui com esta casa de saúde”, arguiu Dalla Costa.

O vice-presidente da executiva, Reinaldo Fernandez Lopes, apresentou demandas possíveis que a comunidade pode participar, quer sejam doações de alimentos não perecíveis, doações em espécie via conta bancária, programas de compensação fiscal no imposto de renda, entre outras que estão em fase de finalização e em breve serão apresentadas à comunidade. “Estivemos no ‘Hospital do Amor’ localizado em Barretos no Estado de São Paulo. Lá vimos inúmeras formas de doações, sendo que já estamos trabalhando com nossas equipes para implementar aqui. Uma delas é um cofrinho que será distribuído para as entidades, o qual terá código de barras com número para rastreamento. Quando uma pessoa levar um desses cofrinhos vamos efetuar cadastro da mesma, sendo que o número constante no fundo externo de cada unidade estará atrelado ao CPF de quem o levou. No momento que estiver cheio, as moedas podem ser depositadas em conta bancária específica, sendo que o número de identificação do depósito será aquele que estiver no código de barras no fundo do recipiente. Assim, será possível saber e registrar devidamente o valor que cada cofre resultará. Todas as informações, quer seja de projetos de captação de recursos ou de doações, estarão disponíveis através do site em blog específico de transparência”, revelou com entusiasmo Reinaldo Fernandez Lopes, vice-presidente executivo da ALVF.

Inúmeras foram as manifestações das lideranças presentes em prol da melhoria da estrutura para atendimento da população, bem como, sugestões e formas de organizar as doações foram apresentadas. A pastora Maristela M. de Souza Oliveira, da Igreja Ministério Ligado a Videira salientou a importância sobre a transparência nas ações e condução dos trabalhos junto aos hospitais, o que credencia buscar apoio da sociedade: “É importante sabermos de que forma podemos ajudar e quais as necessidades, por exemplo, essas apresentadas pelo vice-presidente”.

“Todos temos condições de participar, de nos envolvermos através de nossas igrejas, através das comunidades em apoiarmos essas iniciativas. Vamos envolver a todos, não só de Chapecó, mas também de outros municípios e regiões que tem no Hospital Regional sua referência em atendimento”, antecipou o André Pagnussat, Pastor da Igreja Só O Senhor é Deus, o qual preside o Conselho de Pastores Evangélicos de Chapecó. Também, o Padre Ilton José Goettems, da Igreja Católica Apostólica Romana, antecipou a possibilidade de envolver a comunidade de fiéis nas ações pró-hospitais HRO, HNSS e HC.