17/12/2019

HRO apresenta balanço de 2019

Na última segunda-feira, 16 de dezembro, foi realizado um café com a imprensa na sala de reuniões da administração do Hospital Regional do Oeste (HR). Na ocasião, foi efetuada a prestação de contas de 2019 e apresentado os desafios para o próximo ano.

Estiverem presentes integrantes de diretoria executiva do hospital, que apresentaram dados do balanço anual. Nos 11 primeiros meses de 2019, foram realizadas mais de 730 mil procedimentos, número maior que o mesmo período do ano passado. Desses, 20.864 internações, 29.638 tratamentos oncológicos, 13.156 procedimentos cirúrgicos, 57.431 atendimentos no pronto-socorro, 98.527 exames de imagens e 453.365 exames laboratoriais. 

Para isso, foram necessários disponibilizar mais de 650 mil refeições aos pacientes, acompanhantes e funcionários. Além disso, mais de 900 mil quilos de roupas foram lavadas. 

Entre os objetivos de 2020, o principal é zerar a fila de cirurgias. De acordo com Gelson Dalla Costa, presidente do Conselho Delegado de Administração, mesmo com esse grande número de procedimentos, o hospital ainda possui uma grande demanda, tanto de traumotorpedia, neurologia, quanto de cirurgias gerais, que seria suprida com a abertura da nova ala. “Existe a necessidade de um aumento de 40% a 50% da produção. São mais de 250 a 300 mil procedimentos que faríamos com a ala nova sendo aberta”, pontua.

Com isso, a expectativa é de que a uma abertura parcial seja realizada no ano que vem. “O sétimo e oitava andar da ala nova estão liberados desde junho. O que acontece é que a vigilância sanitária fez uma vistoria de conformidade ao final do mês de novembro e faltaram alguns detalhes, o que houve uma divergência entre o projeto inicial planejado e o projeto executado. Esses itens foram resolvidos com a colocação de algumas cubas que faltavam e mais outros detalhes. Então, provavelmente, até o final do ano ou mais tardar em janeiro, isso vai ser resolvido, podendo ser liberado completamente o prédio da ala nova”, salienta Dalla Costa. 

Segundo o diretor geral do HRO, Osmar Arcanjo de Oliveira, os dados apresentados no balanço de 2019, não são maiores por conta dos atendimentos realizados pela UPA, postos de saúde e Hospital da Criança. Além disso, reforçou sobre a meta de 2020: reduzir a fila de cirurgias. “Com a ala nova inaugurada, teremos 13 salas cirúrgicas e uma que ficará a disposição para emergências. Então, nós temos uma capacidade de dobrar o número de cirurgias por mês. Quando essa parte nova estiver funcionando a seu pleno vapor, teremos condições de fazer 2500 cirurgias mensais”, finaliza. Hoje, o hospital conta com seis salas cirúrgicas, realizando, em média, 1200 cirurgias.